À Espera de Godot em Almada

Foto: João Tuna

A estreia de À Espera de Godot marcou, em Março, o encerramento da programação do Centenário do Teatro Nacional São João (TNSJ). Na altura, foi apenas possível assistir à apresentação online, mas, após a recente passagem pelo Nemzeti Színház – Teatro Nacional de Budapeste, na Hungria, o espetáculo regressa a solo português para estar em cena no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, a 2 e 3 de outubro. Baseada na obra de Samuel Beckett, a produção do São João conta com encenação de Gábor Tompa, nome cimeiro do teatro europeu e presidente da União dos Teatros da Europa, que dirigiu atores do elenco “quase residente” da Casa.

À Espera de Godot acompanha Didi e Gogo – duas personagens cujas feições e roupa parecem saídas de um vaudeville ou do cinema mudo –, que, numa estrada, junto a uma árvore, se entretêm com inúmeros jogos e picardias, rindo e chorando enquanto esperam por alguém: Godot. Contudo, esta personagem-mistério nunca chega a aparecer – o objetivo principal sempre foi o de realçar o que acontece nesse processo de espera. A peça, que teve um alcance expressivo e global no século XX, é uma das obras mais populares do dramaturgo irlandês, tendo alterado por completo não apenas a literatura dramática, mas a própria condição teatral.